O que mais vale a pena: comprar, alugar ou construir um imóvel?

A pergunta do título é uma dúvida cruel, principalmente para quem está na iminência de se casar. É tanta gente dando palpite que até parece que a cabeça vai dar um nó. Com os preparativos para o casamento, o tempo, que já era curto, fica cada dia mais escasso. Assim, torna-se cada vez mais difícil decidir comprar, alugar ou construir um imóvel.

A verdade é que não existe uma resposta pronta. Cada uma das opções tem seu lado positivo e seus malefícios. Por isso, mantenha a calma! Neste post nós daremos várias dicas muito úteis para quem está — assim como você — à procura de informações sobre como comprar o primeiro imóvel. Quer saber mais? Venha com a gente!

Conheça o lado bom e o ruim de construir

A vantagem mais evidente da construção é a liberdade para fazer a casa do seu jeito nos mínimos detalhes. Você escolhe a largura das portas, a altura das janelas, os dormitórios que se transformarão em suítes, se vai haver áreas para piscina ou para a churrasqueira e tudo mais.

O mais relevante inconveniente, por sua vez, é o tempo. Construir uma residência do zero não é algo que se consiga da noite para o dia. O levantamento de uma propriedade vai demandar uma série de fases até que finalmente os pombinhos possam entrar no imóvel.

Será preciso, por exemplo, encontrar um bom terreno. Quando for fazer essa escolha, leve em consideração itens como infraestrutura de saneamento básico — como rede coletora de esgoto e distribuidora de água —, acesso à eletricidade, índices de criminalidade na região e a facilidade de achar serviços e estabelecimentos comerciais.

Em seguida, será necessário contratar os profissionais. Um arquiteto e/ou engenheiro terão que elaborar o projeto. Além de passar a eles os seus desejos e sonhos para o planejamento arquitetônico, será crucial ficar em cima para que os cronogramas hidráulico e elétrico também fiquem prontos com antecedência.

Isso é fundamental para a elaboração de um orçamento próximo da realidade e com uma chance baixa de desvios. Sua pesquisa por materiais de construção terá de ser minuciosa, levando em conta preço, agilidade na entrega e qualidade dos produtos.

Exija que os arquitetos e os engenheiros obtenham os documentos imprescindíveis para deixar tudo legalizado. Alvará da prefeitura para iniciar as intervenções, IPTU em dia e a escritura do terreno são alguns dos elementos compulsórios nesse processo.

A parte boa é que fazer a sua própria casa pode ser até 30% mais barato do que comprar um imóvel pronto — desde que o planejamento seja feito corretamente. Por outro lado, há menos pacotes de auxílio nos bancos para quem está construindo. A maior parte das linhas de crédito habitacionais é destinada aos bens já concluídos.

Geralmente, os empréstimos para edificar demandam que o tomador do recurso tenha uma quantia mínima para dar o start nos serviços. O nome limpo, o terreno já adquirido e o projeto pronto e aprovado pela prefeitura são premissas básicas para concessão de subsídios bancários para construir.

Faça uma profunda e lenta reflexão. Será preciso ponderar se você, com toda a preocupação com a organização do casamento, terá tempo, disposição e paciência para tocar essa obra. Independentemente da resposta, não se precipite!

Saiba mais sobre as perdas e os ganhos do aluguel

Quem está planejando o casamento para os próximos meses pode ter no aluguel a melhor alternativa graças à agilidade do processo. Quando se levanta a dúvida: “comprar, alugar ou construir um imóvel?”, quase todo mundo rejeita a locação.

Ser inquilino, porém, tem lá as suas vantagens. Não que o aluguel dispense a burocracia por completo, muito pelo contrário. No entanto, os requisitos — comparados aos impostos nos casos de aportes bancários para a compra e para as intervenções de engenharia —, são bem mais simples para quem aluga.

Para o aluguel, você vai ter de arranjar fiadores. Normalmente, é obrigatório que esse fiador tenha imóvel em seu próprio nome na cidade onde o contrato será fechado.

Outra premissa é que essa pessoa tenha renda correspondente ao valor de três aluguéis. Como alternativa, existe o seguro-fiança, por meio do qual se deposita uma quantia e, em troca, dispensa-se a apresentação dos fiadores. Nesse caso, porém, o valor nunca é baixo.

Outro ponto positivo: quando você é inquilino, os reparos no imóvel ficam por conta do proprietário ou da imobiliária. Se for preciso, por exemplo, desentupir o encanamento de esgoto do condomínio, nenhum centavo sairá do seu bolso.

Para alugar, é mais simples encontrar o bairro adequado, pois os processos de compra e de construção, como já falamos, são bem mais complexos — o que reduz as possibilidades. Há, no entanto, aquele famoso aspecto negativo da locação que é o fato de não haver nenhum retorno desse dinheiro.

A locação também exige autorização para qualquer tipo de reforma. Isso limita a sua adaptação, mas tem outro lado: a decoração é livre e mais barata, o que permitirá a chance de compensar essa defasagem.

Há quem diga que é mais proveitoso financeiramente alugar do que fazer uma compra financiada. É uma teoria que faz sentido se você conseguir — além de pagar o aluguel — guardar algum dinheiro como se estivesse quitando uma parcela.

Normalmente, o aluguel é recomendado às pessoas que não têm dinheiro em mãos para investir, para os que podem ter que mudar de bairro ou cidade muito em breve e para os que estão com muita pressa para entrar no imóvel.

Descubra as vantagens e os prejuízos de um imóvel pronto

Na hora de optar em comprar o imóvel pronto, uma das melhores benesses é que há muitas linhas de financiamento à disposição. Um aspecto ruim, entretanto, é que os juros estão altos neste momento.

Por isso, é fundamental fazer uma cotação junto às principais instituições financeiras para ver direitinho quais delas oferecem as opções mais vantajosas de crédito.

Essa alternativa conta pontos a favor para quem sofre com a falta de tempo, pois é mais rápido para morar. Se a data do casório estiver muito próxima, talvez seja uma excelente ideia, assim como no exemplo do aluguel, que mencionamos acima. Construir leva mais tempo.

Avalie, porém, quais as intervenções você gostaria de fazer antes de fechar o contrato de compra. Aliás, tenha muito cuidado com as condições não visíveis do imóvel. Contrate profissionais para fazer vistorias e eliminar problemas — como cupins, traças, ratos, infiltrações, falhas na fundação, desgaste da rede hidráulica, entre outros.

Acostume-se com as recompensas e com os danos dos imprevistos

Seja qual for a sua escolha — comprar, alugar ou construir um imóvel —, saiba que nenhuma delas estará livre de imprevistos. Suponha que você compre um imóvel com a estrutura perfeita e descubra, mais tarde, que ele está num bairro sujeito a enchentes.

Por outro lado, pode ser que daqui a dez anos as inundações tenham sido eliminadas pelo poder público e que a área no entorno desse imóvel passe por uma supervalorização. O que queremos dizer é: você precisa se planejar, mas nem tudo é previsível.

Sua casa pode ser feita do jeitinho que você sempre quis, mas talvez isso saia mais caro do que o programado ou demore mais do que aquilo que lhe prometeram. Esteja preparada. O mais importante é manter os pés no chão sem deixar de sonhar e de ter positividade.

Por essas razões, não se estresse com a organização do casamento. Seja na festa, na lua de mel, na obra ou em qualquer outro lugar, a calma e a compreensão serão essenciais para a vida a dois.

Comprar, alugar ou construir um imóvel, portanto, é uma decisão delicada e pessoal. Cada uma delas carrega pontos negativos e positivos, sobre os quais você deve refletir sem pressa.

Com tranquilidade e planejamento, vocês acharão a resposta mais condizente para o casal. Enquanto isso, aproveite a parte boa desses preparativos: sonhe com um casamento lindo! Afinal, já diz o ditado: o melhor da festa é esperar por ela!

O que você achou do nosso post? Já sabe qual será a sua escolha? Se precisar de ajuda, entre em contato com a Teresa Lamas!

Teresa Lamas

Especialista em Casamentos e Autora do Blog Teresa Lamas

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"